Adbox

É prá lá que eu vou!

LightBlog

Amizade, nosso blog lhe deseja Boas Festas... E um 2012 melhor que 2011 e pior que 2013!!!

Estamos saindo do ar, como se diz nas emissoras de rádio, até algum dia do início do ano que vem.
Eu e minha família vamos passar alguns dias ao léu, com parada principal em Fartura (SP), a terra natal da minha primeira dama. Agora mesmo, eu me emocionei, chorei e ri vendo no Yo Tube cenas de acontecimentos ocorridos na “Cidade Presépio” ou “Pedacinho do céu aqui na terra”.
Como os próximos dias serão dedicados a conversas sobre ceias, deixo abaixo um roteiro gastronômico para ajudar aqueles que buscam inspiração.
Abs e bjs, amigos...      

Mesa  farta, estomago satisfeito

Amizade, dia destes, na hora do almoço,
No Bar do Alécio, meu estimado amigo,
Acho que engordei bem mais de um quilo,
Porque meu estômago estava muito intranqüilo.
 
E olha que ingeri apenas uma gostosa cerveja,
Acompanhada de uma porção de amendoim descascado,
mesmo tendo o meu modesto apetite
por uma hora terrivelmente desafiado. 
 
Neste espaço de tempo fatídico, sofreram mesmo
As lombrigas dos vários fregueses presentes,
Que acabaram ficando apenas na vontade,
Porque comer alguma coisa mesmo, niente.
 
Sou igual a você, sofrido brasileiro,
Que quando não tem o que por na panela,
Começa a sonhar desesperadamente,
Com o que gostaria de cozinhar dentro dela.
 
Já que sou acusado por uns poucos descontentes
De ser um sujeito sarcástico, metido e irreverente
Vou contar aqui tudo que no Bar do Alécio falamos,
Só prá deixar os desafetos com mais raiva da gente
 
Começamos falando de arroz com frango,
Da brasileiríssima feijoada bem preparada,
Bolinhos de milho verde numa porção bem fritada
e não esquecemos a popular serralha numa convidativa salada
 
Os amigos lembraram a abobrinha cozida ou recheada,
A dobradinha ou buchada e uma quente caldeirada
Falou-se num irresistível nhoque de mandioca,
para valorizar a brasileiríssima farinha de tapioca
 
Lembrou-se de pato assado para satisfazer uma esposa grávida,
E como tudo isso ainda não nos fartasse,
Citamos a irresistível sopa de milho verde com cambuquira,
Para que a nossa lombriga se aquietasse
 
Agora, sem me preocupar em fazer rima,
Completo o cardápio falando de arroz com suã,
Uma bela churrascada ou peixes em saborosa fritada
E um frango a passarinho, acompanhado de um bom vinho
 
Para ser honesto, confesso publicamente,
Minha desgraça é o velho livro da Dona Benta,
Com páginas amareladas e receitas suculentas,
Que um dia, é certo, o meu estomago arrebenta.
 
Segunda-feira, um bocado mais pesado
E com o velho coração bastante disparado,
corro atrás do primeiro médico de plantão
em busca de remédio para a minha indigestão.
 
Mas enfrento tudo isso bem despreocupado,
Porque terei um fim de semana afortunado.
Viverei como um rei, mesmo sem nenhum reinado,
e destinado a morrer como um brasileiro descamisado.
 

01/03/1991

 

  

0 Comentário(s):

    Ainda não há comentários.