Adbox

Saiba como enfrentar ingestão de objetos estranhos por crianças

LightBlog

Dados da Secretaria da Saúde de São Paulo indicam que, por dia, pelo menos 50 pessoas são atendidas em prontos-socorros e ambulatórios públicos por terem aspirado algum tipo de objeto, a maioria crianças na faixa etária de um a quatro anos. Os mais comuns na lista de objetos estranhos engolidos pelos pequenos são moedas, peças minúsculas de brinquedos, pilhas, medicamentos e tampas de caneta

O pediatra e diretor do Hospital Infantil Darcy Vargas, na zona sul da capital, Sérgio Sarrubo, alerta que tais episódios ocorrem, muitas vezes, por falta de assistência e supervisão dos pais ou responsáveis, que devem respeitar a faixa etária recomendada pelos fabricantes de brinquedos nas embalagens. No caso dos alimentos, devem ser oferecidos de forma adequada, em pedaços pequenos ou desfiados, mantendo sempre a supervisão, porque a criança pode engasgar mesmo com arroz ou feijão.

Mais informações no Portal do Governo do Estado

0 Comentário(s):

    Ainda não há comentários.